quarta-feira, 21 de abril de 2010

PARA QUE SERVEM AS CÂMARAS?





 Esta noite, cerca das 04H30 da madrugada, a perfumaria Pétala, na Rua Visconde da luz, foi assaltada.
Segundo Armindo Gaspar, o proprietário, os larápios, depois de terem estilhaçado uma montra lateral, certamente com intenção de penetrarem no estabelecimento, teriam sido surpreendidos pelo alarme. Mesmo assim ainda levaram da montra cerca de 400 euros em perfumes. No total, com o prejuízo dos vidros, ascenderá a cerca de 1000 euros.
 “Isto é uma lástima –diz-me o Armindo-, como se não bastasse os nossos problemas financeiros, ainda temos de gramar isto. Não sei onde vou arranjar forças para encarar esta situação. Estou esgotado, simplesmente esgotado!”, diz-me com desalento e de voz embargada.
 Saliento que a perfumaria Pétala fica a cerca de 50 metros, em linha recta, da câmara de videovigilância que se encontra localizada no frontispício da Câmara Municipal de Coimbra. Ora se, em princípio, estaria um agente da PSP a monitorizar as câmaras distribuídas em toda a Baixa, é muito fácil de apanhar o ladrão. É óbvio, não é?
 O sistema de segurança, através da videovigilância, foi inaugurado pelo presidente da autarquia, Carlos Encarnação, há cerca de 5 meses, mais precisamente em 15 de Dezembro passado, com grande pompa e circunstância.
Sempre concordei que estes objectos captadores de imagens, de certo modo invasores da nossa privacidade, fossem instalados no Centro Histórico, mas, atente-se, como princípio dissuasor de uma certa criminalidade rasteira –composta por toxicodependentes- que existe por aqui. Porém, tal como outros comerciantes, sempre defendemos que deveriam ser acompanhadas com algum policiamento de proximidade. Ora o que se verifica, passados cinco meses e depois de vários assaltos ocorridos, é que nem existe policiamento durante a noite, nem, pelos vistos, as câmaras desempenham qualquer função para que foram criadas.
Talvez estivesse na altura de o senhor presidente Carlos Encarnação, juntamente como o senhor comandante distrital da PSP de Coimbra, fazer um balanço e, pelo menos, dignar-se dar uma satisfação a quem tem aqui o seu ganha-pão. É urgente uma explicação, nem que seja para tranquilizar. O princípio da segurança implica confiança no sistema. Esta cristalização hermética de informação não augura nada de bom…

2 comentários:

Jorge Neves disse...

Continua o vandalismo e os assaltos na Baixa, eu sempre disse, por alguma experiencia na materia que a videovigilância, não iria trazer melhoras algumas. O que considero muito estranho, ou nao!!!é que segundo sei, todas as Lojas que foram assaltadas ou ouve tentativa, não existe imagens .Porque será? Gostava mesmo de o saber.

Jorge Neves disse...

Já li hoje num jornal local, o que sabia em off,e que não me supreendeu, as camaras de videovigilância, não de gravão,são do tipo controleiro nada mais.