terça-feira, 8 de março de 2016

A LOJA DOS MILAGRES DA MINHA RUA



 

A minha rua tem tudo. Para oferecer uma rosa ao meu amor, tem uma loja de flores. Tem duas ourivesarias para adquirir e oferecer um broche à minha amada. Tem vários espaços destinados à moda onde o glamour dos artigos se confunde com a Primavera. Tem três lojas de lingerie que fazem milagres para apimentar uma relação já rotineira e onde a sensualidade se espalha como perfume. Tem uma loja de roupas lindas para criança. Tem várias sapatarias que tornam o nosso andar mais cómodo e perfeito. Tem um bazar de recuerdos que faz a ponte entre o cá e lá. Tem uma loja de frutas onde, ao que se conta, os preços são de espanto e causam dor na concorrência. Tem um bom café, em que o dono é bom tipo, simpático e popular. A minha rua tem uma bonita loja de antiguidades e velharias que nos transporta para os tempos de menino. E depois, depois, porque era sobretudo deste que queria falar –por isso, desta vez, é o único que vou nomear aqui-, temos o estabelecimento Luz Luz. 
Quase há dois anos em actividade, com Carlos Pereira a comandar este espaço dedicado ao esoterismo, não há mãos que cheguem para medir as crenças de cada um. Esoterismo “é o nome genérico que designa um conjunto de tradições e interpretações filosóficas das doutrinas e religiões que buscam desvendar seu sentido supostamente oculto. Hoje em dia o termo é mais ligado ao misticismo, ou seja, à busca de supostas verdades e leis últimas que regem todo o universo, porém ligando ao mesmo tempo o natural com o sobrenatural” –retirado da Wikipedia.
Na Luz Luz, na rua Eduardo Coelho, na Baixa de Coimbra, há remédio para tudo, até para uma boa morte -tudo com recurso a orações de ritual.
Vossemecê, leitor, anda com um azar danado no jogo? Há muito tempo que não vê o padeiro? Ora, ora! Isso foi até ler este texto. Amanhã vá ter com o Pereira e ele dá uma volta na sua sorte em cento e oitenta graus.
Você é comerciante e o negócio não sorri? Isso foi só até hoje. Se quiser chuva no nabal e Sol na eira vá ter com o Pereira! Ali há lá uns pedidos rogados e umas essências para purificar ambientes de más energias que viram tudo ao contrário à sua volta.
O amor não lhe chega e as mulheres fogem de si como o diabo da cruz? Deixe-se disso! Vá ter com o Pereira e ele trata disso. Ele faz de si um Michael Douglas, um íman de atracção fatal.
Você, que é homem, desconfia que a sua mulher anda com o apetite demasiado desenvolvido para a idade, sem engordar come tudo o que vê e está transformada numa rameira, é demasiado generosa e anda a partilhar a coisa pelo povo? Você até já pensou em colocar-lhe um conta-quilómetros? Não é preciso, vai ao Pereira, diz que quer bloquear a boca do mundo da sua comparte. E está feita! Até para fazer “xixi”, expelindo, a desgraçada vai ter dificuldade, quanto mais se for para ingerir material pouco recomendado.
Se você é mulher, desconfia que o seu companheiro anda a mijar fora do penico e até já pensou em passá-lo a ferro? Não senhora, não faça isso! Se quer acabar com a pilheira vá ao Pereira! Ele tem lá umas velas em representação fálica que resolvem o problema num esfregar de olhos. Para acabar com a rebaldaria você adquire um pepino preto –é tamanho médio, não pense em John Holmes, o dos filmes pornográficos. Você dá-lhe luz ao anoitecer e no dia seguinte o infeliz não pára de olhar para o chão –nem que passe uma Cicciolina de belos seios a bombar o coitado dá acordo de si.
Se o quiser retirar do purgatório e necessitar de o levantar para as lides domésticas é só dar luz a um careca branco. Para acabar com a sujeira vá ao Pereira!
Se porventura o seu homem até funciona bem com o material e só rega o seu quintal, e você até quer mais, mais, mais e mais, e até já pensou no Viagra? Não é preciso, pode dar-lhe cabo do coração e há melhor solução: para aumentar o tráfego da traineira vai ao Pereira! Dá luz a um pirilau vermelho e vai ver o milagre acontecer!
Não se esqueça, só leva rasteira quem não vai ao Pereira!

1 comentário:

João José Horta Nobre disse...

Gostei de ler!

Vivi em Coimbra durante uns anos ao lado de uma loja de bruxarias que ficava na Rua do Brasil, mesmo ao lado do Café Aviz:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/03/foi-milagre-senhor.html