quinta-feira, 7 de junho de 2018

BAIXA: RATO GORDO, DESCONHECIDO, AVISTADO NA RUA DA SOFIA





Durante o período de almoço, entre o meio-dia e mais uns trocos, em frente à porta da loja de pronto-a-vestir Sofimoda, foi visto um enorme rato do “tamanho de um gato” a passear na via pública, o que, como precaução, manteve-se as portas de vidro corridas e a obrigar os clientes a empurrar para aceder ao interior do estabelecimento.
Segundo Olinda Reis, funcionária da conhecida loja de modas, “era grande -e acompanhou o gesto com as duas mãos simétricas. Olhou cá para dentro, como se tencionasse entrar, e encaminhou-se para o DIAP, Departamento de Investigação e Ação Penal, aqui ao lado.
À hora a que chegámos ao local da ocorrência já não foi possível obter declarações do visado... ou visada, isto porque Olinda Reis, na altura a atender um cliente, não pode garantir que o animal avistado fosse mesmo macho.
Em face do atraso em cobrir a reportagem, ficam por saber os motivos que trazem um nobre animal, de compleição considerada, a vir e a passear discretamente na Rua da Sofia e a razão por que se teria encaminhado para o departamento do Ministério da Justiça.
É evidente que não é por não termos declarações que nos quedamos. Isso é que era bom! Não temos, pouco importa, partimos para a especulação. Homessa!

-Teria vindo à Rua da Sofia a mando da UNESCO, como consumidor anónimo, para, in loco, verificar o estado de abandono a que está votada esta artéria classificada como Património Mundial;

-Encaminhou-se para o DIAP para se queixar de discriminação entre felídios urbanos e roedores rústicos, gatos e ratos, e carência de políticas igualitárias entre as duas espécies animal por parte da Câmara Municipal de Coimbra -se assim for, o camarada Queirós, que é o vereador do pelouro, que se prepare proximamente para uma invasão e manifestação massiva da rataria em frente ao edifício camarário;

-Teria vindo secretamente a Coimbra a mando do Secretário-geral do Partido Socialista, António Costa, para aferir do que pensam os munícipes da possibilidade de Manuel Machado deixar a autarquia dentro de um ano e passar o ceptro a Carlos Cidade. Isto para prevenir, dizemos nós, a possibilidade dos conimbricenses entrarem em choque e pelas lágrimas derramadas, na despedida do actual presidente, possam ocorrer inundações nas proximidades;

-A mando da Presidência da República teria vindo secretamente a Coimbra para, na mesma linha do movimento “Somos Coimbra”, pedir uma audiência à AICEC, Associação industrial, comercial e de Empresários de Coimbra. É que não há maneira de se avistar a nova agremiação sucessora da ACIC e defensora do comércio da Baixa;

-Em visita de espionagem, sobre a anunciada candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura, que em 2027 calhará a uma cidade portuguesa que se candidate à denominação, teria vindo de Évora para tentar compreender o elenco coordenador nomeado pela edilidade.
Retirando o coordenador-mor que não se discute, está lá representada a CDU, está lá a Universidade com dois membros, está lá o PSD, porque não está lá um membro do movimento “Somos Coimbra”? Ah! Já sei, já lá está um médico. Não é preciso outro para assistir a alguma ansiedade exagerada que possa redundar em depressão.


Relembro que estas observações são meras conjecturas sem ponta que pegue com a realidade.


Sem comentários: